Depressão | Trabalho e Saúde Mental

O que é depressão de alto funcionamento?

A depressão nem sempre é incapacitante. Com a depressão de alto funcionamento, a pessoa leva uma vida aparentemente normal. Saiba mais.

O que É Depressão de Alto Funcionamento?

Existem muitos equívocos sobre como a depressão se manifesta. Você pode imaginar uma pessoa perturbada demais para sequer sair da cama. Ou alguém que não consegue trabalhar ou fazer outras atividades por causa do humor deprimido.

Mas, na verdade, a depressão possui muitas formas e varia bastante em intensidade. Às vezes, as pessoas têm o que se chama de depressão de alto funcionamento.

O que é depressão de alto funcionamento?

A depressão de alto funcionamento não é um diagnóstico clínico, mas isso não significa que ela não seja real.

Afinal de contas, algumas pessoas com depressão parecem estar perfeitamente bem para o mundo exterior. Elas vão para o trabalho, pagam as contas e conversam com os outros. Elas podem até parecer felizes de vez em quando.

Mas isso não significa que elas não se sintam deprimidas. Alguns desses indivíduos podem rastejar para a cama no instante que chegam do trabalho. Ou podem sentar no sofá toda noite e chorar até a hora de dormir. Talvez elas apenas sejam boas em esconder sua depressão dos outros.

Transtorno depressivo persistente

A 5ª edição do manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (DSM-5), inclui uma condição chamada de transtorno depressivo persistente.

Embora existam vários tipos de depressão, indivíduos que parecem ter alto funcionamento podem ter o Transtorno Depressivo Persistente.

Alguns sintomas dessa condição incluem:

  • Baixa autoestima;
  • Mudanças nos hábitos de sono (dormir demais ou de menos);
  • Mudanças no apetite (comer demais ou de menos);
  • Dificuldade em se concentrar;
  • Dificuldade em tomar decisões; Sentimento de desesperança.

Para atender os critérios do diagnóstico, os sintomas devem estar presentes por no mínimo dois anos. Por conta disso, muitas das pessoas com esses sintomas aprenderam a funcionar apesar deles.

Como a depressão pode impactar o funcionamento

Para atender os critérios do diagnóstico de depressão, um indivíduo deve sentir deficiências sociais, ocupacionais ou educacionais.

Isso significa que seu humor deprimido deve interferir de alguma forma com sua vida diária.

Mas isso não significa que a pessoa não funcionará bem em algumas dessas áreas. A seguir estão alguns exemplos de como uma pessoa com depressão de alto funcionamento ainda pode apresentar deficiências em alguma área de sua vida:

  • Uma mulher aparece para trabalhar sem atrasos todos os dias e executa bem seu serviço. Entretanto, ela raramente se envolve em atividades sociais porque ela não quer estar em volta de pessoas;
  • Um homem continua a aproveitar uma vida social agitada com os amigos nas noites e fins de semana. Entretanto, ele tem dificuldade em suportar os dias de trabalho pois está deprimido às vezes. Como trabalha de casa, ele consegue se atrasar e evitar certas tarefas sem ninguém perceber;
  • Uma mulher é dona de casa e fica cuidando dos filhos. Ela consegue cuidar bem dos filhos, mas se sente solitária e deprimida durante o dia. Ela abandona a faculdade porque se sente sobrecarregada;
  • Um aluno universitário continua a ter aulas online, mas abandona o trabalho de meio período porque não tem energia e nem motivação para trabalhar.

Causas

Como todas as formas de depressão, a depressão de alto funcionamento pode surgir por diferentes motivos. Pode ser por uma combinação de fatores genéticos, biológicos, ambientais e experiências de vida, por exemplo.

Estresse, doença, luto não superado, abuso de substâncias, trauma, problemas nos relacionamentos e grandes mudanças na vida são apenas alguns motivos que podem desencadear a depressão.

Existem vários motivos para uma pessoa desenvolver depressão de alto funcionamento. Um indivíduo com esse tipo de depressão pode ter sintomas leves o suficiente para que continue funcionando ou pode ser um perfeccionista com medo de mostrar que está passando por dificuldades.

Riscos

Pessoas que continuam funcionando apesar da depressão podem se convencer que sua depressão não está tão ruim.

Algumas pessoas minimizam os próprios problemas

Algumas pessoas com depressão de alto funcionamento podem minimizar a seriedade da condição e ter menos chances de procurar tratamento.

Elas também têm uma chance menor de receber apoio emocional dos outros se sua depressão não for detectada. Amigos, familiares e colegas podem não ter a mínima ideia de que a pessoa tem depressão.

Além disso, alguém com depressão de alto funcionamento pode sentir-se culpada em receber ajuda (a culpa costuma andar de mãos dadas com a depressão). A pessoa pode pensar que outros com casos mais sérios de depressão merecem mais receber ajuda.

Algumas pessoas sentem que não deveriam estar deprimidas

Elas também podem dizer para si mesmas que não têm motivo para estarem deprimidas. Elas podem achar que, já que conseguem funcionar, também deveriam estar felizes. Ou podem achar que alguém com um trabalho e família não tem que estar deprimido. Esses pensamentos também podem impedir a pessoa de pedir ajuda.

Todos os tipos de depressão aumentam o risco de suicídio, inclusive a depressão de alto funcionamento. Alguém com essa condição pode ter pensamentos frequentes sobre morte e podem considerar acabar com a própria vida.

Outras pessoas podem entender mal a depressão de alto funcionamento. Elas podem achar que um indivíduo que está socialmente afastado simplesmente não se interessa em ter amigos. Ou podem associar uma dificuldade pessoal com desmotivação ou preguiça.

Esses mal entendidos podem criar problemas ainda maiores para alguém que está lutando contra a depressão. A pessoa pode intensificar seu isolamento ou compensar a tristeza fingindo que está bem, quando na verdade sua depressão está cada vez pior.

Tratamento

A depressão de alto funcionamento pode ser tratada com medicamentos, terapia ou uma combinação de ambos.

Se você acha que pode ter depressão de alto funcionamento, fale com seu médico. Ele identificará outros problemas médicos que possivelmente estejam contribuindo para seu humor deprimido.

Às vezes, problemas de saúde físicos podem contribuir para a depressão.

Se seu médico concluir que tratamento é necessário, você pode receber a receita de alguns medicamentos. Você também pode ser encaminhado(a) para um psiquiatra, profissional especializado em medicamentos para saúde mental.

Além disso, seu médico pode recomendar psicoterapia. Existem vários tipos de terapia que podem ser efetivos contra a depressão, como a terapia cognitivo-comportamental (TCC). A TCC pode ajudar você a se livrar de pensamentos e comportamentos que reforçam sentimentos depressivos.

Para falar com um terapeuta agora, clique aqui.

João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

Conheça 7 Sintomas Físicos da Depressão

25.11.2021 | João Vitor Santos

Conheça 7 Sintomas Físicos da Depressão

A depressão não é uma perturbação apenas psicológica, seus efeitos também afetam o corpo. Saiba mais.

Depressão Infantil – Tudo o Que Você Precisa Saber

20.11.2021 | João Vitor Santos

Depressão Infantil – Tudo o Que Você Precisa Saber

A depressão pode afetar pessoas de todas as idades. Conheças os sintomas, causas e tratamentos contra a depressão infantil.

Depressão Pós-Parto - Tudo o que Você Precisa Saber

18.11.2021 | João Vitor Santos

Depressão Pós-Parto - Tudo o que Você Precisa Saber

A depressão pós-parto é um transtorno que todos os anos afeta mais de 2 milhões de mulheres no Brasil. Entenda mais sobre essa condição.

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.