Relacionamentos | Casais

10 necessidades emocionais que devem ser consideradas em um relacionamento

Um relacionamento bem-sucedido exige bastante entrega de ambas as partes, saiba mais sobre algumas necessidades emocionais que você e sua cara-metade devem levar em consideração

10 Necessidades Emocionais Que Devem Ser Consideradas em Um Relacionamento

Todo mundo tem necessidades emocionais.

Considere algumas necessidades básicas de sobrevivência como água, ar, comida ou abrigo. Atender essas necessidades físicas significa sua sobrevivência, mas é preciso mais que isso para a vida ter sentido.

Você não pode ver ou tocar coisas como companhia, afeto, segurança ou apreço, mas elas são igualmente valiosas. O mesmo vale para sentir que te ouvem e te valorizam.

Em um relacionamento, a força do laço entre vocês pode fazer a diferença entre cada um ter suas necessidades atendidas ou não.

Apesar de cada relacionamento ser um pouco diferente, as 10 necessidades emocionais a seguir são um bom ponto de partida para considerar se você e a outra pessoa estão recebendo o que precisam do relacionamento.

1. Afeto

A maioria dos relacionamentos envolve diferentes tipos de afeto:

  • Contato físico;
  • Intimidade sexual;
  • Palavras carinhosas;
  • Gestos gentis.

O afeto ajuda vocês a se conectarem e aumenta a proximidade do casal.

Nem todo mundo mostra afeto da mesma maneira, mas os parceiros normalmente se acostumam com a abordagem específica um do outro.

Uma pessoa que não diz “eu te amo”, por exemplo, pode mostrar sua consideração através de ações.

Se o nível de afeto no seu relacionamento muda de uma hora para a outra, talvez você precise se preocupar. Muitos problemas entre o casal derivam da falta de afeto, e é muito compreensível questionar por que um parceiro outrora afetuoso está distante ou evitando contato.

Se a pessoa parece menos afetuosa que antes, uma conversa pode ser um bom ponto de partida. Lembre-se de não tirar conclusões sem que a pessoa explique o que está acontecendo.

Tente uma abordagem não confrontativa, como:

“Eu percebi certa distância ultimamente. Quando a gente não se conecta fisicamente, eu me sinto só. Eu estava imaginando se existe uma forma de nos conectarmos com palavras, caso você não esteja afim de contato físico agora.”

2. Aceitação

Saber que seu parceiro te aceita como você é ajuda a criar um senso de pertencimento ao relacionamento.

Mas aceitação não significa apenas que a pessoa aceita você. Também significa que você sente como se fizesse parte da família e da vida dela em geral.

Esse sentimento de pertencimento pode se fortalecer quando a pessoa:

  • Te apresenta para os familiares e amigos;
  • Planeja atividades junto com você;
  • Compartilha sonhos e metas para o futuro;
  • Pede seu conselho ao tomar decisões.

Sem essa sensação de aceitação, você pode sentir como se estivesse “de escanteio” na vida da pessoa. Esse não é um lugar confortável de se estar.

Algumas pessoas não se abrem com facilidade, e elas podem ter dificuldade em incluir você em certas partes de suas vidas. Ao mesmo tempo, sentir que não faz parte também pode impedir que você se veja em um relacionamento de longo prazo com alguém assim.

Uma estratégia que pode ser útil: se você ainda não o fez, convide a pessoa para conhecer os seus parentes e amigos. Use isso para iniciar uma conversa sobre como você deseja se envolver mais na vida dela.

3. Validação

Até mesmo os parceiros mais próximos não concordam em tudo, e não tem problema nisso.

Mas mesmo quando vocês não concordam completamente, você ainda quer saber se seu parceiro ouviu suas preocupações e entende o seu lado.

Quando seu parceiro falha em compreender sua perspectiva, você pode se sentir incompreendido(a). Quando a pessoa desconsidera completamente seus sentimentos, você pode se sentir ignorado(a) ou desrespeitado(a).

Se você geralmente sente a validação da outra pessoa, mas algo como o descrito no parágrafo acima acontece uma ou duas vezes, é possível que a pessoa tenha apenas tido um dia ruim.

De qualquer forma, não faz mal ter uma conversa para você dizer o que sente. Mas se você tem a sensação constante de que a pessoa não te ouve e invalida você, é possível que comece a surgir ressentimento da sua parte. Por isso, é importante tratar dessa situação o mais rápido possível.

Experimente dizer:

“Eu não sinto que você me ouve quando trago assuntos importantes. Podemos achar um bom momento para termos conversas sérias onde podemos ambos ouvir sem distrações?”

4. Autonomia

Conforme um relacionamento se aprofunda, os parceiros começam a compartilhar interesses, atividades e outros aspectos da vida diária. Você pode perceber que estão ficando mais semelhantes conforme se aproximam.

Mas independente do quão forte seu relacionamento se torna, é essencial manter seu senso de identidade própria. Enquanto vocês podem ter muitas coisas em comum, vocês são duas pessoas diferentes com metas, hobbies, valores e amigos únicos – e isso é uma coisa boa.

Se a sua identidade começou a se confundir com a da pessoa, pare um pouco e examine a situação.

Essa mistura de personalidades pode ser natural conforme vocês se aproximam, mas também pode acontecer quando você acredita que precisa se tornar igual a ela para o relacionamento dar certo.

Na verdade, preservar interesses individuais pode alimentar a curiosidade de um sobre o outro, o que fortalece o relacionamento e o deixa divertido.

Se você está se perdendo de vista por causa do relacionamento, tire um tempo para se reconectar com amigos ou retornar a um hobby antigo.

5. Segurança

Um relacionamento saudável tem que oferecer segurança, mas isso pode significar muitas coisas.

Se você se sente seguro(a) em um relacionamento você geralmente:

  • Sabe que a pessoa respeita seus limites;
  • Se sente seguro em compartilhar seus sentimentos;
  • Sente-se fisicamente seguro com a pessoa;
  • Acredita que ela apoia suas escolhas;
  • Se sente capaz de compartilhar seus sentimentos.

Definir claramente seus limites ajuda a impulsionar o sentimento de segurança. Por exemplo:

“Eu não quero que grite comigo, então eu não vou responder se você aumentar sua voz.”

Se seu parceiro se tornar abusivo, procure orientação profissional. Abuso físico normalmente é fácil de reconhecer, mas o abuso emocional pode fazer você se sentir inseguro(a) também, mesmo que você não saiba exatamente o porquê.

6. Confiança

Confiança e segurança geralmente estão lado a lado. É difícil se sentir física ou emocionalmente seguro(a) com alguém que você não confia.

Quando você confia em alguém, você sabe que a pessoa se preocupa com você assim como se preocupa consigo mesma.

Se começarem a surgir dúvidas da sua parte, procure perguntar sobre comportamentos específicos, como ficar fora até tarde e não explicar. Isso ajuda você entender o que está acontecendo enquanto preserva a liberdade de comunicação entre vocês.

Em geral, a confiança não vem de uma vez só. Você a cultiva com o tempo, embora possa perdê-la em um instante. A quebra de confiança pode ser reparada, às vezes, mas isso exige esforço dos dois parceiros e, frequentemente, o apoio de um terapeuta.

Fale com clareza sobre como você vai lidar com quebras de confiança no relacionamento. Enquanto sua reação pode variar dependendo de cada situação específica, você provavelmente tem uma boa ideia sobre quais comportamentos considera inaceitáveis, como traição ou mentira.

Não se sinta culpado em deixar essas situações irreconciliáveis claras ao seu parceiro.

7. Empatia

Ter empatia significa que você é capaz de imaginar como a outra pessoa se sente. Essa habilidade é essencial em relacionamentos românticos já que ajuda os envolvidos a se entenderem e formarem laços mais profundos.

Digamos que a outra pessoa esqueça seu aniversário. Você sente raiva e dor. Como isso pôde acontecer depois de tantos anos juntos? Você nunca esqueceu o aniversário dela.

Mas depois do pico inicial de raiva e decepção, você começa a considerar o lado da pessoa. Ela tem tido problemas no trabalho, e aquela ansiedade já está afetando o sono dela. A maior parte da energia emocional da pessoa tem sido usada para se concentrar em um grande projeto que vai mudar as coisas para melhor.

Com tudo isso na cabeça, você considera, é mais compreensível que o seu aniversário tenha passado completamente em branco. Você sabe que não foi por displicência, e também sabe que ela se sente péssima pelo que aconteceu.

A sua compreensão a respeito da situação da outra pessoa te ajuda a aceitar o que aconteceu e permite que você ofereça compaixão e perdão, o que pode aproximar vocês. Insistir nas reclamações, por outro lado, pode causar uma discussão e afastá-los.

8. Prioridade

É bastante normal querer que seu parceiro faça de você uma prioridade. Você quer ter certeza que você vem primeiro e, assim que as necessidades dele forem atendidas, as suas são as próximas na lista.

É claro, a maioria das pessoas tem alguns (ou mais) relacionamentos significativos. De tempos em tempos, outra pessoa na vida do seu parceiro pode precisar vir primeiro, como um amigo ou um familiar passando por uma crise, por exemplo.

Mas em geral, se você não sente que é prioridade na vida da pessoa, você provavelmente sente como se ela não valorizasse sua presença de verdade.

Uma conversa ajuda. Primeiro, explique porque você não sente que é prioridade – tenha o cuidado de falar sobre você, para não parecer julgador. Talvez a pessoa não responda suas mensagens por quase um dia ou remarca constantemente o momento de vocês para se encontrar com os amigos.

Sugira então uma solução, como responder às mensagens toda noite ou regularizar a frequência com que vocês se encontram.

9. Conexão

Não há problema em não fazer tudo junto com a outra pessoa. Como já vimos, na verdade, manter alguns interesses próprios é saudável para o relacionamento e para seu bem-estar emocional.

Mas você provavelmente também deseja se sentir conectado(a) ao mesmo tempo. Afinal, para quê são os relacionamentos se não para compartilhar sua vida?

Sem conexão, você pode sentir-se só, mesmo que vocês passem bastante tempo juntos. Pode parecer que vocês são apenas duas pessoas que por acaso estão convivendo juntas ou passando tempo uma com a outra.

Aqui vai uma boa notícia: se você sente falta dessa conexão, é completamente possível se reconectar e engajar-se com a outra pessoa novamente.

Algumas dicas úteis:

  • Faça perguntas sobre um aspecto da vida diária da pessoa que você nunca tinha parado para pensar antes;
  • Sugira uma nova atividade para fazerem juntos;
  • Sai da rotina com uma viagem;
  • Falem um pouco sobre as memórias que vocês têm juntos ou compartilhem memórias de infância.

10. Espaço

Conexão é importante, mas espaço também é.

Espaço em um relacionamento significa que vocês dois têm liberdade para fazerem o que desejam, quando desejam. Você sente que recebe apoio, mas sabe que pode fazer suas próprias escolhas.

Também significa que você goza de certa privacidade. Isso pode significar espaços de trabalho (ou lazer) diferentes, mas também significa privacidade emocional.

Ser honesto(a) não significa que você precisa compartilhar cada pensamento que cruza sua cabeça.

Se você sente irritação, por exemplo, um pouco de espaço emocional e físico pode te ajudar a lidar com esses pensamentos de maneira saudável e evita que você desconte no seu parceiro.

Quando se trata de espaço, falar sobre o que você precisa é fundamental. Considere:

  • Se permitir um pouco de tempo sozinho a cada dia;
  • Criar um espaço só seu em casa, seja um cômodo separado ou apenas um canto;
  • Passar mais tempo fora de casa.

Algumas coisas para se ter em mente

Agora que você conhece algumas das necessidades emocionais mais importantes de um relacionamento, é importante considerar algumas coisas.

Necessidades emocionais não são imutáveis

Você pode ter diferentes necessidades ao longo da vida, e suas necessidades também podem mudar dentro de um mesmo relacionamento.

Isso pode acontecer conforme você aprende mais sobre si mesmo(a) através do crescimento pessoal ou em relação a seu parceiro conforme vocês se desenvolvem como casal.

É perfeitamente normal – e desejável – que você se adapte com o tempo, mesmo para descobrir necessidades que você desconhecia antes.

Experiências passadas tem seu impacto também. Sua experiência em um relacionamento passado pode ter te ensinado o quão importante é a comunicação, por exemplo.

Pessoas podem ter necessidades diferentes

Novamente, as necessidades emocionais variam de pessoa para pessoa. Algumas pessoas podem valorizar o pertencimento mais que o amor, ou a confiança mais que o desejo, por exemplo.

Enquanto você pode priorizar certas coisas, como atenção e conexão, seu parceiro pode colocar mais valor na privacidade e na independência.

Isso não significa que seu relacionamento está condenado, mas talvez você precise dedicar um esforço extra ao comunicar suas necessidades para encontrar um meio termo.

Ninguém tem que atender suas necessidades

As necessidades emocionais desempenham um papel importante na satisfação que o relacionamento gera. Se elas são atendidas, você se sente satisfeito(a), animado(a) e feliz. Quando não são, você se sente frustrado(a), magoado(a) ou confuso(a).

Dito isto, seu parceiro não tem a obrigação de atender todas as suas necessidades. Algumas necessidades, como confiança e comunicação, realmente afetam o sucesso do relacionamento. Sem elas, as coisas não costumam dar certo no longo prazo.

Mas a outra pessoa não pode atender todas as suas necessidades, e você não deve esperar por isso.

Mesmo em um relacionamento romântico, é necessário explorar outros meios de ter suas necessidades atendidas, seja por conta própria ou através de relacionamentos significativos com outras pessoas.

Conclusão

Como você pode ter percebido, atender as necessidades envolve colaboração mútua. E do que a colaboração depende? Boa comunicação.

Discutir suas necessidades com um parceiro costuma ser o melhor ponto de partida. Se você é incapaz de se comunicar, você provavelmente não será capaz de discutir o atendimento de necessidades com a outra pessoa.

Com dificuldade para começar? A terapia para casais pode oferecer um espaço seguro e livre de julgamentos para você falar sobre suas preocupações.

João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

A Importância do Apoio Social Para a Saúde Mental

30.11.2021 | João Vitor Santos

A Importância do Apoio Social Para a Saúde Mental

Relacionamentos confiáveis fazem bem para a mente. Veja como.

3 Bases de um Relacionamento Saudável

26.11.2021 | João Vitor Santos

3 Bases de um Relacionamento Saudável

A saúde da relação passa por esses 3 fatores. Conheça-os.

Preservando o Amor em Família

24.11.2021 | João Vitor Santos

Preservando o Amor em Família

Saiba como criar e nutrir o amor no núcleo familiar.

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.