Transtornos Psiquiátricos

Síndrome das pernas inquietas – Tudo o que você precisa saber

Conheça os sintomas, causas e tratamentos para esse transtorno.

Síndrome das Pernas Inquietas – Tudo o Que Você Precisa Saber

O que é a síndrome das pernas inquietas?

A síndrome das pernas inquietas (SPI) é um distúrbio neurológico também conhecido como Doença de Willis-Ekbom.

A SPI causa sensações desagradáveis nas pernas junto de um poderoso impulso para movê-las. Na maioria dos casos, esse impulso é mais intenso quando a pessoa está tentando descansar ou dormir.

A preocupação mais séria associada à SPI é a sua interferência no sono, causando cansaço e vontade de dormir durante o dia.

Se não tratado, esse transtorno também pode aumentar o risco de outras doenças, como a depressão.

No Brasil, todos os anos, são reportados mais de 150 mil casos da síndrome das pernas inquietas. Ela pode acontecer em qualquer faixa etária, porém é mais comum da meia-idade em diante. As mulheres têm um risco duas vezes maior de desenvolver a síndrome em relação aos homens.

Pelo menos 80% das pessoas com SPI têm uma condição relacionada chamada distúrbio dos movimentos periódicos dos membros (DMPM). O DMPM faz com que as pernas se torçam ou rebatam durante o sono.

Esse fenômeno pode acontecer em intervalos muito pequenos (a cada 15 ou 45 segundos) e perdurar por toda a noite. O DMPM também pode provocar privação de sono.

A síndrome das pernas inquietas é um mal crônico e sem cura, mas os sintomas podem ser reduzidos com medicação.

Quais são os sintomas?

O sintoma mais notável da síndrome das pernas inquietas é o impulso de agitar as pernas, principalmente quando sentado ou deitado.

É possível que surjam sensações estranhas como formigamento, sentir que tem algo subindo na perna ou sentir puxões nesse membro. Movimentar-se pode aliviar essas sensações.

Em casos de SPI de baixa intensidade, os sintomas podem se manifestar todas as noites. A pessoa pode ver esses sintomas como resultado do estresse, cansaço ou nervosismo.

Um caso severo de SPI é bem mais difícil de ignorar: atividades banais podem ser prejudicadas, como sair para fazer compras. Uma viagem longa de carro ou avião também pode ser difícil.

Pessoas com esse transtorno podem ter muita dificuldade para dormir já que os sintomas costumam piorar de noite. A falta de sono pode prejudicar a saúde física e mental, além de deixar as emoções mais instáveis.

Os sintomas podem aparecer nos dois lados do corpo, mas em algumas pessoas só se manifestam em uma das pernas.

Nos casos mais leves, os sintomas podem ir e vir, mas a tendência é que a condição piore com a idade. Além disso, apesar do nome, é possível que a síndrome das pernas inquietas também afete outras partes do corpo como braços e cabeça.

O que causa a síndrome das pernas inquietas?

A razão por trás do surgimento desse transtorno é um mistério em sua maior parte. É possível que exista um fator de hereditariedade envolvido ou gatilhos ambientais. Mais de 50% das pessoas com SPI têm histórico da doença na família. Nas situações onde há esse histórico, os sintomas tendem a se manifestar antes dos 40 anos.

É possível que também haja uma conexão com níveis baixos de ferro no sangue: cerca de um quarto das pessoas com SPI têm essa deficiência.

A SPI pode estar relacionada à interrupção das vias dopaminérgicas no cérebro (vias de dopamina) – esse problema também está relacionado ao Mal de Parkinson. Talvez seja por isso que muitas pessoas com Parkinson também sofrem da síndrome das pernas inquietas. Inclusive, os medicamentos para tratar ambas as condições são os mesmos.

Existe a possibilidade de que certas substâncias como cafeína ou álcool deem início ou intensifiquem os sintomas, outras causas possíveis incluem:

A síndrome das pernas inquietas pode ser primária ou secundária. Quando é primária, a condição não é causada por nenhum outro problema de saúde.

No caso da SPI secundária, um mal como diabetes, problema nos rins ou neuropatia pode ser a causa. Quando a doença principal for tratada, a SPI irá embora junto.

Diagnóstico da SPI

Não há um exame específico para confirmar ou descartar a síndrome das pernas inquietas. Boa parte do processo de diagnóstico, portanto, passa pela descrição dos sintomas.

Para que seja feito o diagnóstico, é necessário que as seguintes condições estejam presentes:

  • Impulso incontrolável de se mover junto de sensações estranhas nas pernas;
  • Os sintomas ficam piores durante a noite, sendo leves ou inteiramente ausentes durante o dia;
  • Os sintomas surgem quando você tenta descansar ou dormir;
  • Os sintomas diminuem quando você se movimenta.

Mesmo que todas as condições sejam atendidas, uma avaliação física ainda será necessária. É possível que o médico precise verificar se os sintomas são causados por outras condições.

É fundamental que o paciente informe quaisquer medicamentos ou suplementos que esteja tomando, além disso, é necessário que o médico seja informado sobre problemas crônicos de saúde.

Exames de sangue apontarão se existe alguma deficiência de ferro ou outros problemas. Se houverem sinais de outras condições, o paciente pode ser encaminhado a um neurologista, psiquiatra ou outro especialista.

Soluções caseiras para a síndrome das pernas inquietas

Algumas medidas simples podem ajudar a aliviar os sintomas. Embora a eliminação completa do desconforto seja pouco provável, essas soluções caseiras podem melhorar significativamente a qualidade de vida de uma pessoa com SPI.

Alguns exemplos são:

  • Eliminar ou reduzir o consumo de cafeína, tabaco e álcool;
  • Praticar Mindfulness ou meditação;
  • Criar uma rotina de sono, com o mesmo horário para dormir e acordar todos os dias;
  • Tome um banho quente antes de ir dormir;
  • Fazer atividades físicas todos os dias;
  • Massagear ou alongar os músculos das pernas durante a noite.

Uma dica importante é tentar fazer as viagens mais longas durante o dia, período no qual os sintomas têm uma chance bem menor de surgir.

Se você tem deficiência de ferro no sangue (ou outra deficiência nutricional), pergunte ao seu médico ou nutricionista como melhorar sua dieta. Não consuma qualquer suplemento sem antes avisá-lo.

Medicamentos para a síndrome das pernas inquietas

Assim como as soluções citadas acima, os remédios não curarão a doença, mas manterão os sintomas sob controle.

Antes de mais nada, é importante lembrar que nenhum medicamento deve ser consumido sem a aprovação do médico.

Alguns dos medicamentos indicados no tratamento da SPI incluem:

Agentes dopaminérgicos. Drogas que ativam os receptores de dopamina e são capazes de reduzir o movimento nas pernas.

Opioides. Remédios com efeito analgésico que também ajudam a combater as sensações estranhas nas pernas, como formigamento.

Anticonvulsivos. Essa classe de medicamentos controla o movimento errático das pernas.

Pode ser que a medicação que mais funciona para cada pessoa não seja encontrada de primeira. É importante ajustar a dose e o tipo de medicamento de acordo com a orientação do médico.

Síndrome das pernas inquietas em crianças

Assim como os adultos com SPI, as crianças com o transtorno podem sentir a mesma sensação de formigamento e de que suas pernas estão sendo puxadas.

Crianças com SPI também têm o ímpeto incontrolável de mover suas pernas. No caso delas, a chance dos sintomas manifestarem durante o dia é maior.

A SPI pode atrapalhar o sono, que por sua vez interfere em todos os aspectos da vida. A criança com SPI pode parecer desatenta, inquieta ou irritadiça.

Para que o diagnóstico seja feito em crianças de até 12 anos, os mesmos critérios válidos para adultos se aplicam, a saber:

  • Impulso incontrolável de se mover junto de sensações estranhas nas pernas;
  • Os sintomas ficam piores durante a noite, sendo leves ou inteiramente ausentes durante o dia;
  • Os sintomas surgem quando você tenta descansar ou dormir;
  • Os sintomas diminuem quando você se movimenta.

Além disso, a criança deve ser capaz de descrever as sensações estranhas nas pernas com suas próprias palavras. Finalmente, pelo menos duas das afirmações abaixo devem se aplicar a ela:

  • Um dos pais ou irmão tem SPI;
  • Uma análise confirma um índice de movimento periódico das pernas igual ou superior a 5 movimentos por hora;
  • Há um distúrbio de sono diagnosticado.

É fortemente recomendável que crianças com SPI evitem cafeína e adotem uma rotina de sono estável. Deficiências nutricionais devem ser abordadas de imediato.

Assim como no caso de adultos, o uso de medicamentos pode ser necessário.

João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

O Que É o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)?

03.12.2021 | João Vitor Santos

O Que É o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT)?

Conheça os critérios para diagnóstico, causas, sintomas e tratamentos disponíveis.

Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI) – Tudo o Que Você Precisa Saber

24.11.2021 | João Vitor Santos

Transtorno Dissociativo de Identidade (TDI) – Tudo o Que Você Precisa Saber

Tudo o que você precisa saber sobre essa sutil, mas perigosa forma de violência psicológica.

Psicose – Tudo o Que Você Precisa Saber

23.11.2021 | João Vitor Santos

Psicose – Tudo o Que Você Precisa Saber

Conheça as causas, sintomas e tratamentos usados contra esse distúrbio.

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.