Saúde Mental | Relacionamentos

Dicas para conviver melhor com pessoas difíceis

Nem sempre podemos escolher com quem conviveremos. Essas dicas reduzirão o desgaste em situações assim.

8 Dicas Para Conviver Melhor com Pessoas Difíceis

Pesquisas mostram que relacionamentos solidários são bons para nossa saúde mental e física. Por outro lado, lidar com pessoas "difíceis" e manter relacionamentos negativos continuamente pode ser prejudicial à nossa saúde.

O peso do estresse pode nos afetar emocional e fisicamente. Por isso, sempre que possível, é uma boa ideia diminuir ou eliminar relacionamentos cheios de conflito. Mas o que você faz se a pessoa em questão for um membro da família, colega de trabalho ou alguém que você não pode afastar facilmente de sua vida?

A seguir estão 8 dicas para lidar com pessoas difíceis que estão em sua vida.

Mantenha as conversas neutras

Evite discutir questões controversas e pessoais, como religião e política, ou outras questões que tendem a causar conflito. Se a outra pessoa tentar envolver você em uma conversa que provavelmente se tornará um debate, mude de assunto ou saia do local.

Aceite a realidade de quem você é

Ao lidar com pessoas difíceis, não tente mudar a outra pessoa - você só vai entrar em uma queda de braço, provocar críticas ou piorar as coisas. Também faz de você uma pessoa mais difícil de lidar.

Saiba o que está sob seu controle

Mude sua reação à outra pessoa - isso é tudo que você tem o poder de mudar. Por exemplo, não sinta que precisa aceitar um comportamento abusivo.

Use a comunicação assertiva para estabelecer limites quando a outra pessoa optar por tratar você de maneira inaceitável.

Desenvolva padrões de relacionamento mais saudáveis

Lembre-se de que a maioria das dificuldades de relacionamento se deve a uma dinâmica entre as duas pessoas, em vez de uma delas ser unilateralmente "ruim". As chances são boas de que você está repetindo os mesmos padrões de interação várias vezes; mudar sua resposta pode tirá-lo dessa rotina, e responder de maneira saudável pode melhorar suas chances de formar um padrão mais saudável.

Alguns comportamentos a se evitar incluem:

  • Se recusar a ouvir;
  • Tentar “ganhar” a discussão;
  • Fazer ataques pessoais;
  • Se recusar a discutir.

Por outro lado, também existem comportamentos que valem a pena praticar:

  • Ver o ponto de vista da outra pessoa;
  • Assumir erros;
  • Ouvir com cuidado;
  • Tentar chegar a um acordo.

Veja o melhor nas pessoas

Tente procurar os aspectos positivos dos outros, especialmente ao lidar com a família, e concentre-se neles. (Desenvolver seu otimismo pode ajudar aqui!) A outra pessoa se sentirá mais apreciada e você provavelmente aproveitará mais o tempo que passam juntos.

Lembre-se de com quem você está lidando

Ver o melhor em alguém é importante. No entanto, não finja que os traços negativos da outra pessoa não existem. Não conte seus segredos para um fofoqueiro, não busque apoio em alguém instável e não procure o carinho de alguém que não é capaz de dar. Isso faz parte de aceitá-los por quem eles são.

Consiga apoio onde puder recebê-lo

Procure atender suas necessidades com pessoas que são capazes de fazer isso. Conte seus segredos a um amigo confiável que seja um bom ouvinte ou processe seus sentimentos por meio de um diário, por exemplo. Confie em pessoas que provaram ser confiáveis ​​e solidárias, ou encontre um bom terapeuta, se precisar de um. Isso ajudará você e a outra pessoa, tirando a pressão do relacionamento e removendo uma fonte de conflito.

Para falar com um psicoterapeuta agora mesmo, clique aqui.

Abra mão ou se afaste, se você precisar

Saiba quando é hora de se distanciar e faça isso. Se a outra pessoa não puder estar perto de você sem antagonizá-lo, minimizar o contato pode ser fundamental. Se ela é continuamente abusiva, é melhor cortar os laços e informá-la do porquê. Explique o que precisa acontecer para haver um relacionamento e siga em frente. (Se o ofensor for um chefe ou colega de trabalho, você pode considerar trocar de emprego.)

Dicas extras:

  • Tente não colocar a culpa em você ou na outra pessoa pelas interações negativas. Pode ser apenas um caso de suas duas personalidades se encaixarem mal;
  • Lembre-se de que você não precisa ser próximo de todos; apenas ser educado ajuda bastante a criar harmonia;
  • Certifique-se de cultivar outros relacionamentos mais positivos em sua vida para compensar a negatividade que esses relacionamentos desafiadores podem trazer.
João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

Como o Pensamento Positivo Reduz o Estresse

27.06.2022 | João Vitor Santos

Como o Pensamento Positivo Reduz o Estresse

Saiba como sua mentalidade pode contribuir para uma vida com menos estresse.

O Peso do Medo

06.06.2022 | Mateus Xavier

O Peso do Medo

O medo faz parte das emoções básicas, mas, mesmo sendo uma emoção básica, muitos indivíduos não sabem lidar com seus medos.

Usando a Gratidão Para ter uma Vida Mais Feliz

30.05.2022 | João Vitor Santos

Usando a Gratidão Para ter uma Vida Mais Feliz

A sua perspectiva da vida tem muito a ver com seu nível de felicidade geral. As dicas a seguir ajudarão você a encontrar uma perspectiva mais positiva e ser mais feliz.

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.