Relacionamentos

Preservando o amor em família

Saiba como criar e nutrir o amor no núcleo familiar.

Preservando o Amor em Família

O que é amor familiar?

O primeiro amor que você jamais experimenta geralmente vem da sua mãe, do seu pai e da sua família imediata. Esse amor incondicional não exige nada em troca. Os momentos agradáveis de afagos e brincadeiras com seus pais são mais do que apenas memórias queridas.

O amor da família te dá alicerce psicológico e oferece uma referência para seus relacionamentos futuros. Também permite que você desenvolva formas seguras de apego. Crianças com um apego seguro se sentem protegidas e amadas. Se você teve laços seguros, seus pais provavelmente eram responsivos e atendiam suas necessidades na infância.

Ter laços positivos e se sentir benquisto(a) pelas pessoas amadas leva a uma funcionalidade social mais alta no futuro. Uma criança com apegos seguros também pode formar laços saudáveis com outras pessoas com mais facilidade no futuro.

Benefícios do amor familiar

As vantagens mencionadas acima não são as únicas que uma relação familiar estável produz. Quando você se sente seguro(a), protegido(a) e amado(a) durante esse período crucial da vida que é a infância, você adquire uma boa visão de mundo – a perspectiva para o futuro tende a ser positiva.

Viver em um ambiente saudável que é cheio de amor familiar também gera outros benefícios, como:

  • Você ganha confiança e desenvolve uma autoestima melhor;
  • Você adquire habilidades de resolução de conflitos;
  • Você desenvolve sua comunicação e melhora a qualidade de suas interações sociais;
  • Você fica com boa saúde física (graças a refeições caseiras, brincadeiras constantes e horários de sono regulares);
  • Você se torna mais resiliente e adaptável conforme você e sua família superam desafios;
  • Você sente que tem apoio quando precisa dele;
  • Você tem uma sensação positiva de estabilidade e previsibilidade baseada na sua rotina;
  • Você não precisa fazer nada para merecer o amor da sua família. Você é amado(a) incondicionalmente – só por ter nascido;
  • Suas experiências e crescimento na infância são vistos de maneira positiva;
  • Você também tem uma chance menor de sofrer com transtornos mentais no futuro.

Pesquisa recente

Um estudo de 2019 mostrou que adultos que tiveram mais experiências positivas na infância possuem chances menores de sofrer de depressão e/ou saúde mental ruim, além de maior apoio social e emocional.

Nos sentirmos amados por nossas famílias e ter ótimas experiências na infância é importante. O estudo também mostrou que aumentar as experiências positivas nessa fase da vida pode reduzir os problemas de saúde mental na vida adulta, mesmo que eventos adversos também tenham acontecido na infância.

Alienação de membros da família

Talvez a sua infância tenha sido menos agradável que o ideal e seu pais não fossem tão exemplares quanto você gostaria. Você pode ter tomado a decisão de se afastar deles voluntariamente. Ou, com o passar dos anos, você decidiu seguir por um caminho que é diferente do que eles gostariam.

Então, em vez de lidar com tensão e desconforto, você escolheu não passar tempo com sua família.

E se os efeitos da pandemia afetaram negativamente sua família?

Durante a pandemia do Covid-19, a dinâmica de muitas famílias mudou. Principalmente por causa do tempo extra que fomos forçados a passar juntos, o que aumentou bastante a frustração entre as pessoas. Muitos relacionamentos se desgastaram. Incapaz de escapar para o cinema ou para uma saída com os amigos, você pode ter ficado ressentido(a) com os hábitos dos que convivem com você.

Apesar de ter o mesmo sangue, talvez você tenha se cansado de viver confinado com as mesmas pessoas. Com o estresse extra e demanda a mais sendo colocados sobre você, pode surgir a sensação de que você não está recebendo a compreensão ou assistência que precisa.

Consequentemente, você pode se sentir esgotado(a) e menos paciente com essas pessoas. Muitos confessam que estão mais afastados dos membros da família agora do que antes da pandemia, mesmo convivendo bem mais.

Opiniões diferentes sobre política, uso de máscaras ou vacina colocam tensão sobre os relacionamentos familiares. Talvez você sinta que as coisas jamais voltarão a ser como eram antes da pandemia.

Lidando com isso

Você pode lidar com essa fragilização no relacionamento e fazer as pazes em família através da terapia familiar ou individual.

Se você não teve a melhor das experiências familiares quando estava crescendo ou não tem uma família agora, você ainda tem a capacidade de criar outro tipo de família. O amor familiar pode ser encontrado independente da existência de laços sanguíneos.

Criando amor familiar com amigos

O amor familiar pode ser desenvolvido em um grupo fora da sua família, como o círculo de amizades.

O relacionamento que você forja com vizinhos, colegas de trabalho ou amigos de infância podem servir extraordinariamente bem como sua família. Talvez você seja próximo(a) de amigos da faculdade ou da igreja. Você pode estabelecer seus próprios laços íntimos com as pessoas que você escolhe ter por perto.

Para muitas pessoas, seus amigos próximos não são apenas “iguais a uma família”, eles são família. O importante é ter relacionamentos íntimos e significativos que nos sustentem.

De acordo com uma revisão científica de 150 estudos que envolveram mais de 300 mil pessoas, aqueles com laços sociais fortes tem uma chance de sobrevivência 50% maior comparado com quem tem laços mais fracos. Isso independe de idade, sexo ou estado de saúde.

Apesar de ser possível manter laços através de mensagens ou ligações rápidas, talvez seja do seu interesse dedicar mais tempo e atenção a esses importantes relacionamentos. É sempre bom nos lembrarmos que esses relacionamentos mais íntimos são um importante aspecto de uma boa saúde.

Dicas para sustentar o amor familiar

Vamos nos concentrar em maneiras fáceis de preservar esses laços, eles são profundamente importantes. Algumas opções incluem:

  • Faça do tempo que você passa com sua família uma prioridade;
  • Pratique sua habilidade como ouvinte;
  • Reserve um momento aos fins de semana para conversas mais longas;
  • Façam refeições juntos;
  • Cozinhem juntos;
  • Pratiquem exercícios juntos;
  • Se voluntariem para em alguma iniciativa de caridade;
  • Seja sensível e carinhoso(a);
  • Diga às pessoas amadas que você as ama;
  • Demonstre sua gratidão a elas. Isso não somente as deixam felizes, mas deixa você feliz também;
  • Use meios não verbais de comunicação, como contato visual, sorrisos e abraços carinhosos.

Abraços são importantes, uma vez que seres humanos precisam de contato físico. Na verdade, durante um abraço quente e apertado, o hormônio ocitocina é liberado, o que diminui o ritmo cardíaco e reduz o estresse e a ansiedade. Além disso, o cérebro libera endorfinas que nos inundam de sensações de prazer e felicidade.

Existem muitos benefícios em pertencer a uma rede familiar solidária. Essa é uma parte integral do bem-estar físico e mental. Comece a focar seu tempo e atenção naqueles que ama. Em breve você estará criando momentos divertidos e memórias felizes.

João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

A Importância do Apoio Social Para a Saúde Mental

30.11.2021 | João Vitor Santos

A Importância do Apoio Social Para a Saúde Mental

Relacionamentos confiáveis fazem bem para a mente. Veja como.

3 Bases de um Relacionamento Saudável

26.11.2021 | João Vitor Santos

3 Bases de um Relacionamento Saudável

A saúde da relação passa por esses 3 fatores. Conheça-os.

Personalidade Passivo-Agressiva

23.11.2021 | João Vitor Santos

Personalidade Passivo-Agressiva

Saiba como identificar esse comportamento e aprenda formas de lidar com ele

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.