Transtornos Psiquiátricos

Tricotilomania – Causas, sintomas e tratamento

A tricotilomania causa um ímpeto de arrancar os próprios cabelos. Saiba mais sobre essa condição mental.

Tricotilomania – Causas, Sintomas e Tratamento

A tricotilomania é um transtorno mental que envolve impulsos recorrentes e irresistíveis de arrancar cabelos do couro cabeludo, sobrancelhas ou outras áreas do corpo, apesar de tentativas tentar parar.

Puxar o cabelo do couro cabeludo geralmente deixa manchas carecas irregulares, o que causa sofrimento significativo e pode interferir no funcionamento social ou no trabalho. Pessoas com tricotilomania podem fazer grandes esforços para disfarçar a perda de cabelo.

Para algumas pessoas, a tricotilomania pode ser leve e controlável de maneira geral. Para outros, o desejo compulsivo de puxar o cabelo é incontrolável. Algumas opções de tratamento ajudaram muitas pessoas a reduzir o puxão de cabelo ou parar completamente.

Sintomas da tricotilomania

Os sinais e sintomas da tricotilomania geralmente incluem:

  • Puxar o cabelo repetidamente, geralmente do couro cabeludo, sobrancelhas ou cílios, mas às vezes de outras áreas do corpo. Os locais podem variar ao longo do tempo;
  • Uma sensação crescente de tensão antes de puxar, ou quando você tenta resistir ao impulso;
  • Uma sensação de prazer ou alívio depois que o cabelo é puxado;
  • Perda perceptível de cabelo, como cabelo encurtado e áreas ralas ou calvas no couro cabeludo ou em outras áreas do corpo, incluindo cílios ou sobrancelhas esparsos ou ausentes;
  • Preferência por tipos específicos de cabelo, rituais que acompanham o puxão de cabelo ou padrões de puxão de cabelo;
  • Morder, mastigar ou comer o cabelo arrancado;
  • Brincar com o cabelo puxado para fora ou esfregando-o nos lábios ou no rosto;
  • Tentar repetidamente parar de puxar o cabelo ou tentar fazê-lo com menos frequência sem sucesso;
  • Angústia ou problemas significativos no trabalho, escola ou em situações sociais relacionadas a arrancar o cabelo.

Muitas pessoas que têm tricotilomania também cutucam a pele, roem as unhas ou mastigam os lábios. Às vezes, puxar os cabelos de animais de estimação ou bonecas ou de materiais, como roupas ou cobertores, pode ser um sinal. A maioria das pessoas com tricotilomania puxa o cabelo em particular e geralmente tenta esconder o distúrbio dos outros.

Para pessoas com tricotilomania, o ato de puxar o cabelo pode ser:

  • Focado - Algumas pessoas puxam o cabelo intencionalmente para aliviar a tensão ou angústia – por exemplo, puxar o cabelo para aliviar a vontade esmagadora de arrancar pelos. Algumas pessoas podem desenvolver rituais elaborados para puxar o cabelo, como encontrar o cabelo certo ou morder os cabelos puxados;
  • Automático - Algumas pessoas puxam o cabelo sem nem perceber que estão fazendo isso, como quando estão entediadas, lendo ou assistindo TV.

A mesma pessoa pode puxar o cabelo com foco ou automaticamente, dependendo da situação e do humor. Certas posições ou rituais podem desencadear puxões de cabelo, como descansar a cabeça na mão ou escovar o cabelo.

A tricotilomania pode estar relacionada às emoções:

  • Emoções negativas - Para muitas pessoas com tricotilomania, puxar o cabelo é uma forma de lidar com sentimentos negativos ou desconfortáveis, como estresse, ansiedade, tensão, tédio, solidão, fadiga ou frustração;
  • Emoções positivas - As pessoas com tricotilomania geralmente acham que arrancar o cabelo é satisfatório e proporciona uma medida de alívio. Como resultado, eles continuam a puxar os cabelos para manter esses sentimentos positivos.

A tricotilomania é um distúrbio de longo prazo (crônico). Sem tratamento, os sintomas podem variar em gravidade ao longo do tempo. Por exemplo, as alterações hormonais da menstruação podem piorar os sintomas nas mulheres.

Para algumas pessoas, se não forem tratadas, os sintomas podem ir e vir por semanas, meses ou anos de cada vez. Em casos raros, puxar o cabelo termina alguns anos após o início.

Causas

A causa da tricotilomania não é clara. Mas, como muitos distúrbios complexos, a tricotilomania provavelmente resulta de uma combinação de fatores genéticos e ambientais.

Fatores de risco

Esses fatores tendem a aumentar o risco de tricotilomania:

  • Histórico familiar - A genética pode desempenhar um papel no desenvolvimento da tricotilomania, e o distúrbio pode ocorrer em pessoas que têm um parente próximo com a condição;
  • Idade - A tricotilomania geralmente se desenvolve pouco antes ou durante o início da adolescência – mais frequentemente entre as idades de 10 e 13 anos – e geralmente é um problema para toda a vida. Os bebês também podem ser propensos a puxar o cabelo, mas isso geralmente é leve e desaparece por conta própria;
  • Outros distúrbios - As pessoas que têm tricotilomania também podem ter outros distúrbios, como depressão, ansiedade ou transtorno obsessivo-compulsivo (TOC);
  • Estresse - Situações ou eventos severamente estressantes podem desencadear tricotilomania em algumas pessoas.

Embora muito mais mulheres do que homens sejam tratadas para tricotilomania, isso pode ser porque as mulheres são mais propensas a procurar aconselhamento médico. Na primeira infância (até os 3 anos), meninos e meninas parecem ser igualmente afetados.

Complicações da tricotilomania

Embora possa não parecer particularmente grave, a tricotilomania pode ter um grande impacto negativo em sua vida. As complicações podem incluir:

  • Aflição emocional - Muitas pessoas com tricotilomania relatam sentir vergonha, humilhação e constrangimento. Eles podem experimentar baixa autoestima, depressão, ansiedade e uso de álcool ou drogas recreativas por causa de sua condição;
  • Problemas com o funcionamento social e no trabalho - O constrangimento por causa da perda de cabelo pode levar você a evitar atividades sociais e oportunidades de trabalho. Pessoas com tricotilomania podem usar perucas, pentear o cabelo para disfarçar regiões calvas ou usar cílios postiços. Algumas pessoas podem evitar a intimidade por medo de que sua condição seja descoberta;
  • Danos na pele e no cabelo - Puxar o cabelo constantemente pode causar cicatrizes e outros danos, incluindo infecções, na pele do couro cabeludo ou na área específica onde o cabelo é puxado e pode afetar permanentemente o crescimento do cabelo;
  • Bolas de pelo - Comer seu cabelo pode levar a uma bola de pelo grande e emaranhada (tricobezoar) em seu trato digestivo. Ao longo dos anos, a bola de pelo pode causar perda de peso, vômitos, obstrução intestinal e até a morte.

Diagnóstico da tricotilomania

Uma avaliação para determinar se você tem tricotilomania pode incluir:

  • Examinar quanta perda de cabelo você tem;
  • Perguntas e discussão sobre sua perda de cabelo;
  • Eliminar outras possíveis causas do puxão ou queda de cabelo através de testes determinados pelo seu médico;
  • Identificar quaisquer problemas de saúde física ou mental que possam estar associados a puxar o cabelo;
  • Uso dos critérios diagnósticos no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5).

Tratamento contra a tricotilomania

A pesquisa sobre o tratamento da tricotilomania é limitada. No entanto, algumas opções de tratamento ajudaram muitas pessoas a reduzir o puxão de cabelo ou parar completamente.

Terapia

Os tipos de terapia que podem ser úteis para a tricotilomania incluem:

  • Treinamento de reversão de hábitos - Esta terapia comportamental é o tratamento primário para a tricotilomania. Você aprende a reconhecer situações em que provavelmente puxará o cabelo e a substituir por outros comportamentos. Por exemplo, você pode cerrar os punhos para ajudar a parar o desejo ou redirecionar a mão do cabelo para a orelha. Outras terapias podem ser usadas junto com o treinamento de reversão de hábitos;
  • Terapia cognitiva - Essa terapia pode ajudar você a identificar e examinar crenças distorcidas que você possa ter em relação a puxar o cabelo;
  • Terapia de aceitação e compromisso - Esta terapia pode ajudar você a aprender a aceitar seus impulsos de puxar o cabelo sem executá-los.

Terapias que ajudam com outros distúrbios de saúde mental frequentemente associados à tricotilomania, como depressão, ansiedade ou abuso de substâncias, podem ser uma parte importante do tratamento.

Apoio e convivência

Muitas pessoas com tricotilomania relatam sentir-se sozinhas em sua experiência de puxar o cabelo. Participar de um grupo de apoio para pessoas com tricotilomania pode ajudar, você pode conhecer outras pessoas com experiências semelhantes que possam entender seus sentimentos.

Peça uma recomendação ao seu médico ou profissional de saúde mental ou considere pesquisar online por um grupo de apoio à tricotilomania.

Para falar com um psicoterapeuta agora mesmo, clique aqui.

João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

O que é Dissociação? Tudo o que Você Precisa Saber

15.06.2022 | João Vitor Santos

O que é Dissociação? Tudo o que Você Precisa Saber

Conheça as causas, sintomas, tipos e tratamentos contra esse fenômeno presente em vários transtornos psicológicos.

Piromania – Sintomas, Causas e Tratamentos

02.05.2022 | João Vitor Santos

Piromania – Sintomas, Causas e Tratamentos

Tudo o que você precisa saber sobre esse transtorno caracterizado pelo fascínio pelo fogo.

Cleptomania – Sintomas, Causas e Tratamentos

22.04.2022 | João Vitor Santos

Cleptomania – Sintomas, Causas e Tratamentos

Esse transtorno se caracteriza pelo impulso irresistível de cometer furtos, saiba mais.

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.