Transtorno de Estresse Pós-Traumático | Saúde Mental

Entendendo os traumas

Conheça as classificações, sintomas e tratamentos contra eventos traumáticos.

Entendendo os Traumas

“Trauma” se refere a qualquer tipo de evento que causa aflição e que pode afetar a capacidade da pessoa de funcionar normalmente. Um trauma pode resultar em dano físico, emocional ou psicológico. A maioria das pessoas vai passar por um trauma em algum ponto da vida, seja com a morte inesperada de uma pessoa querida, com um acidente de trânsito, um término de relacionamento, etc.

Entretanto, nem todo mundo que sofre um trauma desenvolve o Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT). Mas é importante considerar que mesmo que a pessoa não sofra com esse transtorno, ela ainda pode experimentar alguns sintomas do TEPT após o evento traumático.

Tipos de trauma

Os traumas podem variar muito entre si, mas existem alguns cenários que tipicamente são considerados traumáticos. Tipos de eventos traumáticos que podem acontecer com uma pessoa ao longo da vida incluem:

  • Abuso;
  • Sofrer um assalto;
  • Acidente de carro;
  • Morte de uma pessoa amada;
  • Divórcio;
  • Abandono dos pais ou da família;
  • Prisão;
  • Perda do emprego;
  • Desastres naturais;
  • Lesão física;
  • Estupro;
  • Terrorismo;
  • Violência;
  • Testemunhar um crime, acidente ou morte.

Os traumas geralmente são divididos em três categorias. Alguns, como os acidentes e os desastres naturais, são eventos pontuais – limitados em duração e escopo. Outros traumas são recorrentes ou ininterruptos, como a convivência com uma doença crônica ou sofrer abuso doméstico constante. Por fim, existem também os traumas que não recebem muita atenção, como o parto ou uma cirurgia.

Sintomas dos traumas

Se você já sofreu, ou já lidou com alguém que sofreu um trauma, é possível que já tenha feito a pergunta: quais reações a um trauma são “normais” e quais são “anormais”?

Essa é uma pergunta difícil, já que todo mundo reage a um trauma de maneira diferente. Existem, entretanto, alguns sintomas comuns que se pode esperar que apareçam depois de um trauma. Alguns deles são:

Lembranças e pensamentos intrusivos

Depois de um evento traumático, é comum que a pessoa tenha que lidar com pensamentos e memórias intrusivos relacionados ao evento. Isso é particularmente provável quando você encontra algo (um objeto, uma pessoa ou um local) que te lembre do ocorrido.

Hipervigilância

Também é bastante comum ficar mais alerta e atento(a) aos seus arredores depois de um evento traumático. Este é uma resposta que visa a autoproteção, uma vez que seu corpo está tentando manter você seguro(a) ao procurar por sinais de perigo.

Hiperexcitação

Da mesma forma que você se sente mais alerta após um trauma, você também tende a ficar mais tenso(a) e instável. Essa reação também é parte da resposta natural do corpo. O medo e a ansiedade nos indicam que existe algum perigo por perto – todas as respostas do nosso corpo a essas duas sensações nos ajudam a lidar com esse perigo.

As sensações nos deixam prontos para lutar, fugir ou “congelar”. Depois de um trauma esses sistemas estarão mais sensíveis, uma tentativa de escapar de futuros traumas.

Sentir-se inseguro(a)

Depois de um evento traumático, sua impressão sobre o mundo ser um lugar seguro (se é que tal impressão existia), é desfeita. Como resultado, você pode sentir que todos os lugares e pessoas são perigosos. Lugares e situações que antes eram seguros para você, agora parecem perigosos e provocam ansiedade. As chances de isso acontecerem são maiores em locais que te lembram do incidente.

Resposta “normal” ao trauma vs TEPT

Conforme você descobre mais sobre os sintomas dos traumas, você vai acabar percebendo que eles são semelhantes aos sintomas do TEPT. É importante lembrar que ter esses sintomas não significa necessariamente que você tem TEPT.

Embora os sintomas abaixo causem aflição, eles são bem menos intensos do que aqueles causados pelo TEPT.

O TEPT não pode ser diagnosticado menos de 30 dias após o trauma porque muitos dos sintomas fazem parte da resposta natural do corpo – em boa parte dos casos, eles desaparecem com o tempo.

Sintomas a serem monitorados

Os sintomas abaixo são uma indicação de que você pode acabar desenvolvendo TEPT. Eles podem causar os quatro sintomas listados anteriormente, eventualmente levando ao TEPT. Portanto, é importante que você fique atento a:

Perda de interesse

Sentimentos de desconexão com as outras pessoas e perda de interesse nas atividades que você gostava devem ser levados a sério. Esses sintomas são indicativos de que você pode desenvolver depressão. Além disso, o isolamento social causado por eles pode privar você de importantes fontes de apoio.

Evasão

Depois de um evento traumático é muito comum evitar certas situações, lugares e pessoas. Entretanto, você deve reparar em comportamentos evasivos. A evasão geralmente leva a mais evasão já que reforça a noção de que o mundo é totalmente inseguro. Essa evasão pode levar a um agravamento dos sintomas e ao surgimento do TEPT.

Mecanismos de enfrentamento prejudiciais

Assim como evitar pessoas e lugares pode ser problemático, evitar pensamentos e emoções também pode ser. Os sintomas que a pessoa sente após um trauma podem ser extremamente incômodos.

Para escapar deles, a pessoa pode recorrer a mecanismos de enfrentamento duvidosos (com o uso de substâncias) para lidar com eles. A evasão é uma solução de curto prazo, e pode acabar intensificando as sensações ruins com o tempo.

Diagnóstico

Se você está com sintomas de trauma, você pode receber o diagnóstico de uma condição como o TEPT. Entretanto, é importante lembrar que nem todas as experiências traumáticas vão levar a um diagnóstico de condição relacionada a trauma.

Quando for falar com seu médico ou profissional da saúde mental, ele irá perguntar sobre os sintomas que você está sentindo e há quanto tempo o trauma aconteceu.

Se você ainda estiver sentindo os sintomas depois de um tempo significativo (mais de um mês) e esses sintomas afetam sua vida diária de maneira significativa, seu médico vai verificar se você atende os critérios de um transtorno relacionado ao trauma ou, talvez, um transtorno de ajuste.

Tratamento

Se você passou por um trauma, pode ser útil falar com um psicoterapeuta. Essa profissional pode fornecer apoio e ajudar você a entender melhor os sintomas que está sentindo.

O tratamento vai depender muito dos sintomas que você está sentindo. Pode envolver psicoterapia, medicação, autocuidado ou uma combinação dos três.

Os tratamentos geralmente focam em ajudar a pessoa a processar sua resposta mental ao trauma além de tratar de transtornos derivados dele, como ansiedade, depressão ou TEPT.

Psicoterapia

O tratamento pode envolver o uso da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) para ajudar o paciente a avaliar seus pensamentos e sentimentos relacionados ao trauma, assim como substituir pensamentos negativos por outros mais realistas.

Clique aqui se você deseja falar com um terapeuta profissional hoje mesmo.

Medicamentos

Se você foi diagnosticado(a) com TEPT, existem alguns medicamentos que ajudarão no tratamento. Os principais são:

  • Antidepressivos;
  • Ansiolíticos.

Convivência

Depois de passar por um evento traumático, é muito importante definir algumas estratégias saudáveis de enfrentamento, como receber apoio de outras pessoas, e minimizar as estratégias não saudáveis, como evasão e uso de álcool e drogas.

Algumas coisas que você pode fazer para ajudar a processar e lidar com o trauma incluem:

Validar seus sentimentos

Você não precisa se forçar a falar com os outros sobre como você se sente. Entretanto, é importante não reprimir seus sentimentos.

Encontre um grupo de apoio

É muito útil ter a oportunidade de dialogar com pessoas que passaram pela mesma experiência.

Dê a si mesmo(a) tempo para lidar com seus sentimentos

Não espere que os sentimentos desapareçam da noite para o dia. Enquanto eles não vão embora, pegue leve com você.

Cuide do seu corpo

Priorize as refeições mais nutritivas, procure descansar bastante e pratique atividades físicas regularmente.

Passe tempo com sua família e amigos

Por mais que você prefira ficar um pouco sozinho(a), se isolar pode dificultar o enfrentamento aos efeitos do trauma. Permita-se receber o apoio e a companhia de pessoas que se importam com você.

Também pode ser útil estabelecer uma rotina regular.

Eventos traumáticos podem interromper profundamente a vida de uma pessoa. Eles podem deixar a sensação de falta de controle e imprevisibilidade. Uma rotina planejada ajuda a trazer um pouco de ordem e previsibilidade à sua vida.

Embora isso por si só não faça os sintomas irem embora, pode ajudar a reduzir outras fontes de ansiedade em sua vida. Ao planejar sua rotina, é importante reservar um tempo para o autocuidado. Tenha em mente que a ideia do planejamento não é se manter ocupado(a) o máximo possível para evitar pensar no evento traumático.

João Vitor Gomes dos Santos
João Vitor Gomes dos Santos

Estudante de Engenharia Mecânica, através da convivência na universidade se conscientizou da importância do bem-estar mental. Para promover e acessibilizar os cuidados com a mente, cofundou a PsyMeet. Convencido da importância da saúde mental para uma vida feliz, está sempre lendo, assistindo e ouvindo sobre o tema. Instagram @dosantosjv

Leia também:

Hipervigilância – Causas, Sintomas e Tratamentos

07.03.2022 | João Vitor Santos

Hipervigilância – Causas, Sintomas e Tratamentos

A hipervigilância é um sintoma de transtornos como o TEPT e ansiedade, saiba como identificar e tratar.

A Relação Entre Transtorno de Estresse Agudo e TEPT

02.02.2022 | João Vitor Santos

A Relação Entre Transtorno de Estresse Agudo e TEPT

Entenda as principais diferenças entre essas condições.

Como Lidar com o TEPT

28.12.2021 | João Vitor Santos

Como Lidar com o TEPT

O transtorno de estresse pós-traumático afeta profundamente a vida da pessoa. Conheça estratégias para lidar com essa condição.

logo do whatsapp

Responsável técnico

Alysson E. de C. Aquino

CRP: 08/20173

Atenção: Este site não oferece tratamento ou aconselhamento imediato para pessoas em crise suicida. Em caso de crise, ligue para 188 (CVV) ou acesse o site www.cvv.org.br. Em caso de emergência, procure atendimento em um hospital mais próximo.